zulupa.com.br
quinta-feira,15 de novembro de 2018

Notícias / Variedades

 

05/11/2018 21h05

Citricultura é destaque em Dia de Campo no município de Planalto

Citricultura é destaque em Dia de Campo no município de Planalto

 

Pela importância da fruticultura no município de Planalto, especialmente da atividade da Citricultura, a Emater/RS-Ascar e a Prefeitura, contando com apoio do Sindicato dos Trabalhadores Rurais, Sicredi e Cresol, realizaram na segunda-feira (29/10) um Dia de Campo com destaque a práticas e manejos que contribuem para o desenvolvimento da atividade. O evento, realizado na propriedade da família Boeri, localizada na Linha Sete de Setembro, recebeu produtores, estudantes e lideranças, para mostrar o potencial produtivo do município e região, bem como fomentar a citricultura como atividade que garante a geração de renda e possibilita a sucessão familiar e a melhora da qualidade de vida das famílias do meio rural.

Na propriedade da família Boeri vive o casal, Gilmar e Ivete, e o filho Joicemar, casado com Aline. A fruticultura é a atividade predominante na propriedade. São três hectares destinados à produção de uva e 3,2 hectares produzindo laranja. Para promover o desenvolvimento e fomentar cada vez mais a atividade da citricultura no município de Planalto, a Prefeitura, através do prefeito Antonio Carlos Damin, lançou o Programa Municipal da Citricultura durante o Dia de Campo, cuja proposta é incentivar o plantio de novos pomares através da aquisição de mudas de citros. Produtores interessados em participar no Programa poderão solicitar o recurso para aquisição de mudas. O Conselho Municipal Agropecuário fará avaliação e aprovação dos pedidos.
Uma das temáticas apresentadas no evento foi sobre adubação em citros para altas produtividades, assunto explicado pelo técnico em agropecuária da Emater/RS-Ascar de Erval Grande, Ivonir Biesek. O técnico apresentou algumas práticas que podem ser vistas como ferramentas para uma estratégia de nutrição em citros. Análise de solo, análise de folha, índice de enfolhamento do pomar, diagnose visual e a exportação de nutrientes, segundo Biesek, são instrumentos que podem auxiliar o produtor.

“A análise serve para conhecer a saúde do solo. Análise de folha do pomar é como um ultrassom. Alguns nutrientes se relacionam entre si, pouco ou em excesso, e a análise foliar demonstra o que a planta está conseguindo absorver do solo. Para haver o equilíbrio é preciso fazer análise. Nós recomendamos três períodos de adubação, nos meses de agosto/setembro, novembro e janeiro/fevereiro, que são os períodos de brotação. Quanto mais fracionada for a adubação, melhor, pois garantirá adubação o ano todo”, observou o técnico da Emater/RS-Ascar.

Em outra estação do Dia de Campo, o técnico em agropecuária da Emater/RS-Ascar, Doraci Bedin, explanou sobre as doenças que afetam o final do ciclo da cultura da laranja e apontou as vantagens da colheita tardia. De acordo com Bedin, nos últimos anos, a doença que mais afetou os pomares do município e tem sido um problema para os citricultores é a Pinta Preta, que pode ter diferentes causas de transmissão, através das mudas, do material vegetal (folhas e ramos), e do vento. É uma doença que ataca folhas, ramos e frutos, e mesmo que não provoque alteração no sabor da fruta, deixa o produto impróprio para venda in natura.

“Como manejo para prevenção da doença recomendamos o plantio de mudas certificadas, o cuidado com a nutrição e sanidade do pomar, a remoção de frutos infectados, plantio de plantas de cobertura de solo, roçada para cobertura de folhas caídas, poda de limpeza de ramos secos, uso de quebra ventos, entre outras práticas preventivas”, explicou Bedin.

O engenheiro agrônomo da Emater/RS-Ascar, Samuel Sperandio, falou sobre o manejo de plantas recuperadoras e de cobertura do solo. O agrônomo destacou os benefícios alcançados a partir da realização dessa prática. “A cobertura do solo contribui com a diminuição da temperatura do solo, reduz a presença das plantas invasoras e, consequentemente, diminui o número de aplicações de herbicidas. Se não houver cobertura no solo, há pomares que necessitam de até oito aplicações de herbicidas”, afirmou Sperandio. Quanto aos benefícios nutricionais, Samuel recomenda a cobertura de solo por contribuir com a ciclagem de nutrientes, a incorporação da matéria orgânica e a disponibilidade de água no solo.

Além do prefeito de Planalto, Antonio Carlos Damin, outras autoridades e lideranças participaram do evento, como o prefeito de Rodeio Bonito, José Ferrari, o secretário da Agricultura de Rodeio Bonito, Gilmar Trento, e representantes do Sindicato dos Trabalhadores Rurais, da Sicredi e Cresol.

Assessoria de Imprensa Emater/RS-Ascar – Regional de Frederico Westphalen
Jornalista Marcela Buzatto
mbuzatto@emater.tche.br
(55) 3744-2835
(55) 9 99853680 / (55) 9 96400611

www.facebook.com/EmaterRS
https://twitter.com/EmaterRS
www.youtube.com/EmaterRS
tv.emater.tche.br

 

Comente esta notícia

Mensagem  
Nome  
E-mail*  
   
  * não será publicado.

 

Soluty Zulupa.com.br © 2010. Todos os direitos reservados.
contato@zulupa.com.br - (55) 99700 5946 / 99613 5633