zulupa.com.br
sábado,16 de outubro de 2021

Colunas / Cultura

 

09/10/2021 18h56 - Atualizado em 09/10/2021 19h44

Apesar dos castigos

Paulo Schultz Paulo Schultz
Professor

Apesar de tudo que o país, e, em especial, a grande maioria do povo brasileiro tem sofrido, desde 2016 para cá, nós resistimos.

Apesar da fome, apesar do desemprego, apesar da precariedade, apesar da dureza, da aspereza, da morte, e da mão fria e invisível do mercado e seus operadores políticos, nós vamos resistir.

E nós não vamos só resistir - nós vamos enfrentar.

E nós não vamos só enfrentar - nós vamos impor uma derrota de projeto, uma outra construção de país- e dessa vez, espero, sem concertação.

Porque não deve haver concertação com quem não merece.

Há uma conta em aberto - e essa conta não é monetária.

É uma conta que diz respeito à dignidade, que diz respeito à cidadania, e que diz respeito, sobretudo, ao respeito à todas as formas de vida e de relação humana.

E essa conta nos é muito cara.

Porque quem produziu toda essa conta, vai ter que assistir quietinho ela ser zerada.

Sem concertação e sem arrego.

Depois do arranjo forjado da deposição de Dilma, e da instalação rápida de um processo destrutivo para muitos, e enriquecedor para poucos, tivemos que suportar mais.

Tivemos que ver se instalar um tempo sombrio, de mais destruição, de maneira mais bárbara, e não civilizada.

O espetáculo anarco comandado por um espantalho da morte.

E nesse tempo todo fomos vendo somente sofrimento e ausência para muitos.

E uma bonança inaceitável para muito poucos.

Esse tempo precisa, e vai acabar.

O Brasil há de renascer.

Vamos vencer o espantalho da morte.

E resgatar a cidadania de milhões.

Uma construção que não será fácil.

Mas que, justamente por não ser fácil, nos estimula a fazê-la.

Com todas as forças sociais protagonistas dessa resistência e da posterior reconstrução, e também com aquelas que porventura se derem conta de que aquele caminho tomado lá em 2016, e carimbado em 2018, é um caminho absolutamente errado, um caminho danoso, causador do que pode haver de pior.

O fato é que a gente cansou, não de resistir, mas de ver isso tudo.

Sabe aquela coisa..." a gente não quer só comida, a gente quer comida, diversão, arte e, sobretudo, viver."

Então... é isso.

Estamos por aí, querendo resistir, enfrentar, e começar um novo tempo.

Apesar dos castigos.. faremos, com firmeza.

Vida que segue.

 

Este artigo é de responsabilidade exclusiva do seu autor, não representando necessariamente a opinião do portal.

 

Comentários

Na história de nossas lutas aprendemos a nos preparar para a derrota. As vitórias nos parecem divinas. Neste tempo de dor e sofrimentos de toda a ordem, somos desafiadxs a lutar com o povo para vencer o mal e restaurar a NAÇÃO brasileira com direitos para todxs. O textos nos motiva. Parabéns professor Paulo!

Terezinha L Krolikowski - 10/10/2021 10h48

Com certeza , A uniao faz a força ..Estamos juntos nessa batalha

Nadir Zimmermann - 09/10/2021 22h08

Apesar de você amanhã a de ser, outro dia! Desistir jamais...

Vania Rosa Roman - 09/10/2021 22h00

Com a uniao de todos os que sao do bem . Venceremos esta dura batalha que nao esta sendo facil. Mas que vai dar tudo certo.

Leonida barros de bairros - 09/10/2021 21h28

Verdade,mas me questiono todos os dias será que o povo aprendeu a lição, pq nem nós piores tempos que nosso país viveu ,nunca vimos pessoas roendo osso cru,muito triste

Helena - 09/10/2021 21h23

É isso mesmo, Paulo! Não tem como continuar com esse devaneio político, pois é o suicídio da Economia do país e da esperança de milhões de brasileiros que a cada dia perdem um pouco mais de sua dignidade. Não dá mais! Fora Bolsonaro!

Paulo valneri Schmidt - 09/10/2021 21h20

Resistiremos, com esperança!

Merici - 09/10/2021 21h18

 

Comente estE ARTIGO

Mensagem  
Nome  
E-mail*  
   
  * não será publicado.

 

Soluty Zulupa.com.br © 2010. Todos os direitos reservados.
contato@zulupa.com.br - (55) 99700 5946 / 99613 5633