zulupa.com.br
terça-feira,20 de outubro de 2020

Colunas / Cultura

 

14/09/2020 21h09 - Atualizado em 14/09/2020 21h37

A que horas vai tocar o despertador?

Paulo Schultz Paulo Schultz
Professor
Enquanto os concorrentes se atrapalham, cometem erros imbecis e batem cabeça, Dick Vigarista lidera a corrida, usando a trapaça e a esperteza, que são suas características.
 
Já viu esse desenho animado ?
Se chama "Corrida maluca".
 
Se  não lembra, ou não conhece, basta procurar no YouTube.
 
Mas, se não quiser, pode olhar para a vida real, pro Brasil de 2020.
 
Na chefia do governo, temos o Dick Vigarista brasileiro - o capitão Messias.
 
Com sua equipe e seu arsenal de ideias anarcocapitalistas, e apesar de todos os péssimos índices econômicos e sociais, o capitão vai liderando a" corrida" - principalmente porque está impondo sua narrativa.
 
Está sendo assim,entre outras coisas, com a narrativa da pandemia.
 
Porém,  meu foco, neste texto, não é este, mas em função deste.
 
Falando em narrativa e foco de discurso: é impressionante o  quanto a esquerda, quase que como um todo, se atrapalha, bate cabeça, não acerta o  foco e faz análise errada dos fatos.
 
! Papo reto !
 
Bolsonaro nunca quis, e não quer, dar nenhum golpe. Não quer fechar o congresso, não quer fechar o STF, não quer estabelecer uma ditadura.( Isso é só discurso prá manter o rebanho inflamado).
 
Ele quer é fragilizar estas, e outras instituições da República, para tê-las ao seu controle, para que possa implementar seu projeto de país.
 
Bolsonaro não tem um governo fascista, embora ele pessoalmente possa ter algumas características similares.
 
Ele não quer atentar contra a democracia, pois foi dentro do período democrático que ele se elegeu oito vezes -  7 como deputado federal e uma como presidente.
 
O que ele tem é uma concepção de país, de sociedade e de democracia, que são anárquicas.
 
E anárquicas no sentido de uma sociedade onde o Estado se ausenta da mediação e da proteção das pessoas e da vida de uma forma geral, e onde a lei do mais forte se impõe através da força não necessariamente física, e das armas.
 
Tá na hora de acordar !
 
Tá na hora de parar de ficar esperando por um golpe que não vai vir, se ocupando com teses e discursos sobre  um suposto golpe se armando, fazendo discursos  de que a democracia está ameaçada, gritando e fazendo faixas reais e virtuais  dizendo que "os fascistas não passarão".
 
Porque enquanto se perde tempo com esse foco errado, literalmente a boiada passa,  e o projeto de Bolsonaro avança.
 
Avança de fato nas políticas implementadas pelo seu governo, e avança ganhando a narrativa junto à população.
 
Quer ver um erro grotesco: Bolsonaro queria dar um auxílio emergencial de apenas R$ 200.
 
Por articulação e movimentação  da esquerda no Congresso, esse valor foi aumentado para R$ 600, com o governo tendo que ceder em sua intenção inicial.
 
Pois quem ganhou politicamente a narrativa  com o auxílio de R$ 600 não foi a esquerda,  foi Bolsonaro,  que soube faturar e chamar pra si o mérito de uma coisa que não  era sua.
 
E a esquerda não soube se comunicar com a população durante todo esse período.
 
Tá na hora de parar de bater cabeça.
 
Tá na hora de acertar na análise dos fatos.
 
Tá na hora de propor um projeto de país que se contraponha na prática com o que está sendo implementado pelo governo Bolsonaro.
 
Tá na hora de dialogar direto com a população,  de maneira efetiva e inteligível.
 
Dialogar sobre a fome, sobre a crise econômica, sobre a alta dos preços dos alimentos, sobre o desemprego, sobre a informalidade, sobre a precarização do trabalho,  etc.
 
Estes são os temas que tocam a vida das pessoas - os temas que doem nos ossos.
 
Porque enquanto ficamos discursando numa nuvem,  essa população fica toda a mercê de uma narrativa bolsonarista que vai se espraiando e se tornando majoritária.
 
 
Tá na hora de acordar, e  começar a trabalhar - temos eleições municipais ali na frente.
 
Vamos colocar o despertador prá tocar,  sair do mundo dos sonhos, e colocar o pé no trabalho, de maneira acertada, precisa e com a narrativa que de fato precisa ser feita.
 

 

Este artigo é de responsabilidade exclusiva do seu autor, não representando necessariamente a opinião do portal.

 

Comentários

Contundente e assertivo, Paulo. Enquanto isso a campanha nos municípios vai numa distopia só. Até parece que o despertador quebrou...

Rose Bitencourt - 15/09/2020 18h53

Verdade,Paulo,faltou uma coisa resgatar a credibilidade junto ao povo,voltar as nesses é organizar o povo para a luta,não luta com armas ,mas organização é amor,acabar com este ódio que reina em nosso país atualmente

Helena - 14/09/2020 22h35

 

Comente estE ARTIGO

Mensagem  
Nome  
E-mail*  
   
  * não será publicado.

 

Soluty Zulupa.com.br © 2010. Todos os direitos reservados.
contato@zulupa.com.br - (55) 99700 5946 / 99613 5633