zulupa.com.br
domingo,20 de setembro de 2020

Colunas / Cultura

 

30/03/2020 21h09 - Atualizado em 30/03/2020 22h28

A ofensiva kamikaze de Bolsonaro

Paulo Schultz Paulo Schultz
Professor
Depois de perder parte do apoio da classe média, apavorada em casa pelo temor do corona vírus, e irada por não ver seu medo arrefecido por alguma medida eficaz do governo federal ( além de    rejeitar o  desdém de a epidemia ser denominada de "gripezinha"), Bolsonaro se atira em um movimento voraz e kamikaze.
 
Compra briga com o congresso, a grande mídia, os governadores, prefeitos, cientistas e com os profissionais da área da saúde.
 
É a derradeira e lancinante investida, tão insana, e ao mesmo tempo friamente pensada.
 
Bolsonaro tem dois objetivos, ao provocar a população a romper o isolamento social feito para conter a epidemia:
 
O primeiro, arregimentar,  coesionar e atiçar sua base, os bolsonaristas, uma porção que compreende de 15 a 20% da população do país.
Repare que depois da sua fala em rede nacional, a sua horda fiel reagiu ensandecida, ocupando massivamente as redes sociais, como que em uma cruzada para salvar seu mito e seu projeto insano de "destruir tudo isso daí".
 
A ponto de extrapolarem as redes, convocando-se a ir às ruas, fazer carreatas,  e defender a volta à normalidade, e o fim do isolamento social preventivo, para não "quebrar o país" ( um argumento mentiroso, mas que eles acreditam).
 
Bolsonaro sabe muito bem manipular e incendiar sua base.
 
Ele continua  lhes vendendo a tese de um complô comunista eclético, que quer impedí-lo de governar, ou destituí-lo do governo, ele,  o mito que veio para combater o sistema e salvar o país.
 
Um complô eclético comunista, que envolve não só o PT e as esquerdas ,como também o centrão, Maia, Alcolumbre, o STF, a Globo, a Folha de são Paulo,  e quem mais se  opuser às ideias de Bolsonaro.
 
Uma doideira completa, que faz, inclusive, negar a ciência e a medicina, e dar razão à estupidez ignorante de Bolsonaro, falando como se fosse um epidemiologista reconhecido e renomado, que, além de conhecedor do assunto, se expressa de maneira chula e rasteira para ser compreendido por todos.
 
O segundo objetivo do Bolsonaro é ganhar adesão de uma outra fatia da sociedade, que compense a perda do apoio de parte da classe média.
 
Aqui, Bolsonaro joga com o medo, e  aposta suas fichas e seu discurso para cima dos milhões de trabalhadores informais do país.
 
 Um público numeroso de aproximadamente 40 milhões de brasileiros, que sobrevive do dia a dia, do bico, e que teme pela sua própria subsistência,  mais do que teme o coronavirus, que, para eles, é apenas uma possibilidade de contaminação ou de morte, algo menos certo, portanto, que a fome e a miséria.
 
 Bolsonaro joga com esse medo, e com o  desconhecimento e a ignorância.
 
Aliás,  esse é  seu terreno, onde  ele sempre semeou sua carreira política e suas ideias tortas e toscas.
 
Então , aposta em um  público de milhões de pessoas que, apavoradas,  vêem no isolamento social não uma proteção para si e suas famílias, mas uma ameaça à sua subsistência.
 
Bolsonaro sabe disso, e calibra as suas palavras meticulosamente em cima desse medo e do desconhecimento,  para ganhar a adesão dessa porção da sociedade,  ou de parte dela.
 
Ele se move em cima de uma plataforma de discurso e de ação  que estimula o conflito diário,  contínuo e permanente,  que promova uma tempestade diária de atritos e confusões.. capaz de levar  ao caos social que Bolsonaro tanto quer.
 
O caos social no país para,  dentro dele, fazer impor sua visão e projeto de sociedade.
 
Nos próximos dias,  Bolsonaro irá intensificar esse movimento.
Ele, sua milícia digital (que funciona a partir do tal gabinete do ódio, anexo à presidência, e comandado por uma   equipe da qual seu filho Carlos é um dos expoentes),  e os bolsonaristas, que agirão na disseminação da ideia do líder.
 
 De forma obstinada, Bolsonaro vai incitar à população a ir às ruas e  voltar ao trabalho.
Sabendo claramente do risco de fazer explodir os casos de contaminação e morte pela epidemia.
 
Mas é o que ele quer: criar o caos para em cima dele triunfar.
 
Se não der certo, Bolsonaro sabe que seu tempo no cargo terá chegado ao fim.
 
Se for assim,  já tem o discurso pronto: "fui vítima do sistema, que  não me deixou governar,. e me destituiu.
 
Ele sabe que seu público fiel comprará esse discurso, e  isso garante que, mesmo fora do cargo, ele e sua família tenham um  nicho numeroso de seguidores fiéis, suficientes para acompanhar-los e garantir mandatos eletivos à família por um bom período de tempo.
 
As próximas semanas serão intensas, e Bolsonaro irá de cabeça nesse movimento que, entre outras coisas, é absolutamente  kamikaze.
 
Não há probabilidade de recuo.
Bolsonaro irá até o fim - vencendo, triunfa no caos, perdendo, perde o cargo, mas leva o discurso de vítima do sistema, e garante seus seguidores para o futuro político da família.

 

Este artigo é de responsabilidade exclusiva do seu autor, não representando necessariamente a opinião do portal.

 

Comentários

Bingo!!! Mais uma brilhante coluna escrita meu amigo, parabéns pela lucidez com que esquece e capta a situação política contemporânea....avante e até a vitória sempre...

Marvius - 04/04/2020 19h39

Paulo, também acho que irá até o fim, pois não há como recuar. Agora vai...em meio a insanidade, a cada dia ainda tem a capacidade de criar novos e inimagináveis absurdos estarrecedores (perdoe a redundância)! E o mais triste de tudo isso é a percepção de que boa parte do povo brasileiro bebe dessa mesma fonte de pensamento.

Neusete - 30/03/2020 23h56

Outro textinho oportunista seguindo as recomendações dos lacaios-mor do partido para incendiar o país. Não importa que estejamos frente à uma crise violenta. Não importa a mortandade que vai ocorrer. O que importa é tentar capitalizar o que for possível para o discurso do PT. Falta de caráter dessa gente sem escrúpulos e sem noção de democracia. Já viu petralha defendendo a democracia? Eu lhes digo como é: é igual a comunista. Excluem os opositores, do mesmo modo que a China comunista eliminou os médicos e os jornalistas que estavam denunciando o início da pandemia. Aqui mesmo neste site, teve comentários meus que foram apagados. Parasitas do poder público, estão tentando capitalizar, de forma espúria, os problemas que esta pandemia está gerando. Lula foi o pior cretino que já pisou no planalto, abriu os cofres para o saque desenfreado dos comparsas. Quebrou o país e faz pose de estadista. Sabem porquê? porque tem milhares de imbecis antipatriotas puxando-lhe o saco. O Brasil já sobreviveu ao PT, vai sobreviver a esta pandemia, e se Deus quiser, vamos nos livrar dos canalhas do PT.

JOCA - 30/03/2020 22h27

 

Comente estE ARTIGO

Mensagem  
Nome  
E-mail*  
   
  * não será publicado.

 

Soluty Zulupa.com.br © 2010. Todos os direitos reservados.
contato@zulupa.com.br - (55) 99700 5946 / 99613 5633