zulupa.com.br
domingo,20 de setembro de 2020

Colunas / Cultura

 

28/02/2020 21h04 - Atualizado em 28/02/2020 23h20

Quando falaremos?

Paulo Schultz Paulo Schultz
Professor
Tá bem, a gente já tem diagnosticada a conjuntura política e social do país.
Tá bem, a gente já sabe  que o plano do Bolsonaro se baseia em um sustentáculo ultra liberal na economia, na adesão das polícias militares estaduais ( por benevolências legais com o uso de armas, notadamente  a ideia do "excludente de ilicitude"), no fortalecimento de milícias com poder infiltrado e ao mesmo tempo paralelo ao estado,  e na força evangélica pentecostal e neopentecostal, dirigida e  manipulada por vigaristas, charlatões e pilantras, que convencem, enganam manipulam e deturpam a mentalidade de milhões no país.
 
 A questão prática que se impõe é:  quando e  como falaremos com a população atingida pelo bombardeio ideológico bolsonarista,  de forma clara e  direta, explicitando a nocividade das reformas que o governo bolsonaro propõe, mostrando a elas o que elas vão perder nas suas vidas, e dizendo a elas que nós, do campo da esquerda, já fizemos diferente, podemos fazer de novo, inclusive corrigindo erros, e avançando em pontos onde avançamos pouco.
 
 Quando e o quê falaremos com essa enorme quantidade em  milhões de evangélicos pelo país afora, que estão sendo manipulados, conduzidos e tendo suas mentalidades formadas por uma deturpação humana calcada em insanidades e  mentiras, conduzida por vigaristas que enriquecem em alta velocidade.
 
Quando e de que forma falaremos com toda essa gente, para dizer que aquilo que  temos para propor é o que vai  lhes fazer ter uma vida mais digna, um emprego e uma situação de aposentadoria decentes, políticas públicas que garantam educação, saúde,habitação, saneamento, e  que atendem aspectos essenciais da vida desse povo todo.
 
E que isso é muito mais importante do que se preocupar com a sexualidade alheia, com a ideia insana ( plantada) de destruição das famílias,  de valores ou coisas desse gênero.
 
Esse movimento de aproximação e  comunicação massiva e consistente já deveria estar acontecendo.
É preciso descolar essa população bombardeada diariamente da retórica insidiosa e nociva de Bolsonaro e dos bolsonaristas raiz, seguidores e propagadores fiéis do extremismo insano,  os quais, frise-se, são caso completamente perdido.
 
Há espaço para trabalhar nessa direção:  descolar uma quantidade grande de brasileiros dessa plataforma perversa e fundamentalista de vida e de concepção que país, e  isolar em um gueto aquele percentual de 15 a 20 % que compõem os bolsonaristas raiz.
 
 E esse trabalho precisa ser feito  diariamente.
Ativistas sociais, militantes políticos, segmentos comprometidos com outro projeto de país (soberano,  justo, inclusivo).
 
É preciso tornar o combate ao bolsonarismo, e o seu projeto destruidor, em prática e em palavra.
É por esse meio que se pode ganhar adesões racionais e emocionais.
 
 É urgente encontrar meios físicos e virtuais de contato, de troca,  de conversa com esse povo todo.
É preciso dissipar, pelo combate em forma de palavras e diálogo, essa densa rede  de mentiras e deturpações, que impregnam de ódio e ignorâncias e estabelecem uma  visão e concepção doente de vida e de país,  na mente de milhões no país hoje.
 
Tenhamos clareza de propósito e concisão e firmeza na ação.
 
? Com quantas pessoas do mundo evangélico, seja pessoalmente, ou por meio de redes sociais, você tem conversado sobre isso?
? Com quantos eleitores de Bolsonaro, que não os bolsonaristas raiz,  você tem conversado pessoalmente ou virtualmente?
 
A construção de uma retórica convincente requer precisão e continuidade, e isso é algo que tem que ser feito no país todo, para ontem.
 
 Todos os dias, em todos os espaços físicos e virtuais que se possa fazer isso acontecer.
!! À boa luta, vamos à boa luta!!

 

Este artigo é de responsabilidade exclusiva do seu autor, não representando necessariamente a opinião do portal.

 

Comentários

O autor fala em isolar em guetos aqueles que são seus desafetos (Hitler fez escola aqui). Fala em catequizar os evangélicos, como se a massa de evangélicos fosse um turba ignorante incapaz de relativizar e tomar suas próprias decisões. Mas claro, o autor defende isto porque lula falou primeiro - então, siga-se a cartilha: cumpra-se, de forma autômata, aquilo que lula falou. Afinal, o que o messias sul americano diz é irrefutável (Outra escola Hitleriana aqui, a da lavagem cerebral). O autor pergunta se seus parceiros já falaram com eleitores de Bolsonaro, certo de que estes, ao ouvi-los abrirão finalmente os olhos e verão a luz.... e a luz seria o evangelho segundo lula......tenha paciência. Aquela frase que diz que cada povo tem o governo que merece me desilude a cada dia quando lembro que lula e dilma governaram meu país. Se eles são o retrato do povo... que desilusão, e inclua-se Bolsonaro aí (para alegria do autor). Levaremos anos para nos livrar de lula e dilma, e até de Bolsonaro, que só foi eleito como contra veneno ao lula. Mas este pelo menos está tentando fazer algo pelo país, não somente para os seus, como o fez lula.

Joca, de novo - 03/03/2020 08h46

Quando falaremos? Ora professor, muito já foi falado e lula ainda tá arrotando as mesmas falcatruas traiçoeiras que o elegeram e que arrastou milhares de estúpidos numa horda zumbi que ainda resiste, embora diminuída graças a Deus. Nunca se viu na era atual um sujeito com o poder de palavra como o lula. Sujeito simples mas ardiloso e inteligente. Que pena que é mau caráter, egocêntrico, orgulhoso e cretino. Ele poderia fazer muito pelo país, pois teve muito apoio. Mas resolveu tornar-se Messias, um sujeito acima do bem e do mal, acima das leis. Dava uma esmolinha para os pobres e os convencia que ele tinha lutado até com o diabo para garantir aquela esmola. Enquanto isto, esbaldava-se no luxo e na luxúria. Rosemary, sua amante, tinha até credencial diplomática e indicava amiguinhos para as falcatruas de Brasília. Não me surpreenderia se alguns dos seus seguidores pensassem que o suor do lula cura câncer, bexiga presa e joanete, pois a devoção cega e estúpida, muito estúpida, ainda é muito presente na petralhada. Aliás, você ainda não experimentou umas gotinhas do suor do lula para ver se cura raiva e "bobice"?

Joca - 02/03/2020 11h37

Excelente reflexão! A indignação é sem tamanho. Vamos à ação!!!

Terezinha Lazzaretti Krolikowski - 29/02/2020 17h06

É como tu dissestes Paulo, é pra ontem, esse quando falaremos; agora o que falaremos, acho mais complicado... Ficarmos sempre na defensiva não dá, é como está acontecendo com eles sempre pautando a mídia. Temos que captar um jeito de chegar aonde esse povo está. Ou iremos amargar vários anos com essa espécie de gente no poder.

Rose Bitencourt - 29/02/2020 10h52

A tua preocupação está correta. Não podemos ficar pregando só pra convertidos. O desafio é fazer isso numa velocidade e precisão minimamente de acordo com as ferramentas dos adversários. Recomendo o documentário Privacidade Hackeada e Edward Snowden Herói ou Traidor.

Jeferson Fernandes - 29/02/2020 09h48

Boa reflexão, questionamentos que necessitam de ações práticas urgentes, pois é assustador o obscurantismo e em que estamos entrando. E mais assustadora é a nossa passividade.

Ana Maria - 29/02/2020 09h19

"O pior cego é aquele que não quer ver". Eu penso que não é uma questão de não enteder o que acontece, mas de autoflagelação, masoquismo ou teimosia. Parabéns pelo artigo.

Schmidt - 29/02/2020 09h14

Belo artigo Paulo, parabéns.

Marvius - 29/02/2020 08h55

 

Comente estE ARTIGO

Mensagem  
Nome  
E-mail*  
   
  * não será publicado.

 

Soluty Zulupa.com.br © 2010. Todos os direitos reservados.
contato@zulupa.com.br - (55) 99700 5946 / 99613 5633